Marcelo Gleiser, astrônomo brasileiro, é o vencedor do Prêmio Templeton 2019

O astrônomo brasileiro Marcelo Gleiser foi nomeado o vencedor do Prêmio Templeton 2019. O troféu, dado pela Fundação John Templeton, celebra personalidades que contribuíram para o diálogo entre ciência e espiritualidade.

Considerado o “Nobel” da área, o prêmio dá a seu vencedor 1,1 milhão de libras esterlinas (cerca de R$ 5 milhões), quantia que simboliza, “uma contribuição excepcional à afirmação da dimensão espiritual da vida, seja por meio de insights, descobertas ou obras práticas”.

O Templeton tem certo prestígio dentro da comunidade científica, mas também conta com uma legião de críticos ateus, como o zoólogo Richard Dawkins, que questiona a validade do prêmio. Em entrevista à Folha, Gleiser diz estar pronto para as pedradas.

A ciência é a melhor metodologia que existe para descrever a realidade do mundo físico, mas existem outras formas de se relacionar com o mundo que não podem ser desprezadas. Eu sempre convido as pessoas a conversar comigo sobre isso.

Figuras como o Dalai Lama, Desmond Tutu e Madre Teresa já receberam o prêmio antes.

Gleiser é autor best-seller de livros como Criação Imperfeita, A Dança do Universo e A Simples Beleza do Inesperado. Ele ficou conhecido, anos atrás, por suas participações no Fantástico, explicando ao público conceitos astronômicos. Atualmente ele dirige o Institute for Cross-Disciplinary Engagement, na Universidade de Dartmouth, em New Hampshire, nos EUA. O instituto promove a aproximação entre as ciências exatas e as ciências humanas.

Ivison Nascimento

Eu só trabalho aqui...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *