Instabilidade no Facebook faz com que Telegram ganhe mais de 3 milhões de usuários

Durante boa parte da última quarta-feira (13), diversos serviços de propriedade do Facebook sofreram com fortes instabilidades — incluindo Messenger, Instagram e WhatsApp. Os problemas descritos poderiam ir desde um erro ao tentar fazer login no Instagram até a impossibilidade de criar novas publicações no Facebook ou mesmo enviar imagens no WhatsApp. Esses problemas em massa fizeram com que a concorrência se deleitasse: o Telegram, que é o maior concorrente do WhatsApp no mercado de mensageiros, ganhou três milhões de novos usuários apenas nas últimas 24 horas.

O fundador do aplicativo, o Russo Pavel Durov, publicou uma mensagem no seu canal oficial alfinetando Mark Zuckerberg e agradecendo os usuários que se registraram recentemente. “Vejo que 3 milhões de novos usuários se inscreveram no Telegram nas últimas 24 horas. Isso é bom. Temos privacidade de verdade e espaço ilimitado para todos”, escreveu o programador, criador do mensageiro e CEO da rede VK.

Durov deixa sua mensagem bastante críptica e não chega a citar exatamente o porquê do aumento repentino no número de usuários do Telegram. Entretanto, a alfinetada sobre privacidade deixa claro que o recado foi enviado a Zuckerberg e ao Facebook, que se envolveram em diversos escândalos de quebra de privacidade nos últimos anos.

O número de usuários pesquisando pelo Telegram no Google recebeu um pico estrondoso na noite de ontem — começando às 19h e perdendo vigor por volta das 22h40, quando os aplicativos do Facebook voltaram a normalizar e a busca por alternativas de comunicação diminuíram. A busca pelo termo “baixar telegram” subiu 4150% nas últimas horas do dia — um reflexo do desespero das pessoas para encontrar uma forma de comunicar online.

Confira o gráfico do Google Trends mostrando esse pico nas buscas pelo Telegram:

Gráfico do Google Trends mostra o aumento do número de pesquisas pelo termo "Telegram"
Gráfico do Google Trends mostra o aumento do número de pesquisas pelo termo “Telegram”

No começo de 2018, o Telegram tinha 200 milhões de usuários ativos, mas desde então eles não divulgaram novos dados em relação a sua base instalada. O mensageiro Russo sofreu com boicote e proibições em alguns países como China, Irã e a própria Rússia. O motivo normalmente está relacionado a Pavel recusar pedidos do governo de ceder informações ou acesso a criptografia.

Ivison Nascimento

Eu só trabalho aqui...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *